Desarticulação de Quadril

 

Consiste na retirada de todo o membro inferior, incluindo a cabeça do osso fêmur. É comum em casos de tumores e traumatismos complexos. Não apresenta coto ósseo, apenas cobertura do músculo glúteo máximo, sendo o apoio (descarga de peso) na tuberosidade isquiática. Na ausência total de um membro inferior, quer seja de natureza congênita, vascular, traumática, tumoral, infecciosa ou inflamatória, o padrão de marcha com prótese estará mais comprometido, mais lento e claudicante, se compararmos com níveis inferiores de amputação como transfemoral, desarticulação de joelho, transtibial, Syme, Pirogoff, Chopart ou Lisfranc. A prótese é eficiente e proporciona segurança e estabilidade ao paciente.

 

 

 

 

 

 

Comments are closed.